Início » Artigos publicados por Pedagogia Social

Arquivo do autor:Pedagogia Social

Jovens universitários: entre a inclusão e a exclusão

CALIMAN, G.; VASCONCELOS, I.(Orgs.). Jovens universitários: entre a inclusão e a exclusão. Brasília: Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade, 2019, 180 p. Baixar em PDF.

Resultado de uma pesquisa da Rede IUS internacional, realizada por cinco universidades: a Universidad Politécnica Salesiana (UPS), do Equador; a Universidad Católica Silva Henríquez (UCSH), do Chile; a Universidad Don Bosco (UDB), de El Salvador; a Universidad Salesiana de Bolivia (USB) e a Universidade Católica de Brasília (UCB). Essa pesquisa se encaminha para estudos da UCB sobre inclusão e exclusão juvenil realizados no âmbito brasileiro.
No Brasil, a Constituição Federal determina que crianças, adolescentes e jovens usufruam desse direito em vinculação com outros – direito à vida, à saúde, à alimentação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.Esse discurso oficial de alta abrangência obriga a sociedade como um todo a educar seus membros, traduzindo essa exigência em políticas públicas, com o apoio da legislação e normas pertinentes. Como essas promessas do discurso oficial se realizam nas instituições de ensino superior? Em particular, nas universidades? No fundo, tais perguntas perpassam os oito capítulos da presente obra, os quais se distribuem em duas partes. Na primeira delas, apresentam-se explicações sobre as juventudes e os modos como ocorrem os mecanismos de sua exclusão e inclusão social, partindo-se de perguntas como: O que é a juventude brasileira? Quais os desafios da educação social? Qual a forma de atuação dos Estados nacionais na área da promoção dos direitos humanos e da proteção destes em relação à juventude? O que é uma universidade inclusiva? Como a exclusão social ocorre na educação superior e de que maneira a universidade poderia concretizar uma efetiva inclusão educacional? Na segunda parte, apresentam-se percepções de jovens estudantes sobre exclusão e inclusão na universidade. Uma pesquisa qualitativo-exploratória traz dados e informações relevantes sobre essas percepções, tendo contado com a participação de 42 jovens estudantes de uma universidade que, sendo confessional, assume publicamente em seus documentos estratégicos o com promisso educacional global com os seus alunos. A diversidade de perfis dos participantes contribuiu muito para enriquecer os cinco grupos focais, cujas discussões foram impulsionadas por três amplas reflexões, colocadas aos participantes: 1) Qual o entendimento de exclusão social; 2) Como a universidade lida com diversas exclusões, inclusive a digital, em circulação por corredores, salas de aula e outros lugares; 3) Quais sentimentos de invisibilidade, enquanto exclusão humana, perpassam o dia a dia acadêmico.
Espera-se que a presente obra contribua para que as universidades concretizem a efetiva inclusão social de seus alunos. Que favoreça também a formação de professores, principalmente, aqueles que atuam na educação superior, posto que as reflexões e as conclusões ora colocadas à disposição dos leitores apontam para o contexto universitário. E que, no âmbito da educação em geral, possa contribuir com uma educação humanística, nos passos dos quatro pilares da Educação para o Século XXI. Estes, em princípio, destinam-se à educação básica, porém, se aplicam também à educação superior, guardando-se as devidas adequações, pois envolvem a contínua renovação do conhecimento

As Cátedras UNESCO e os Desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

CALIMAN, G. (Org.). As Cátedras UNESCO e os Desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Brasília: Cátedra Unesco de Juventude Educação e Sociedade. 2019. [Baixar em PDF]. ISBN: 978-85-62258-33-6

Cátedras UNESCO e os Desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (CALIMAN, G. Org.). Na área da Educação, a UNESCO construiu ativamente a Agenda de Educação 2030, englobada pelo ODS 4 (Educação de Qualidade). A Declaração de Incheon, adotada em maio de 2015, conferiu à UNESCO a responsabilidade de liderar e coordenar o tema por meio de orientação e apoio técnico no âmbito da agenda 2030. Na área das Ciências Naturais, a nova Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável representa um importante avanço no reconhecimento da contribuição da ciência, da tecnologia e da inovação (CTI) para o desenvolvimento sustentável. Ao mesmo tempo, na área das Ciências Humanas e Sociais, a UNESCO visa consolidar princípios e valores universais, como a solidariedade global, a inclusão, a não-discriminação, a equidade de gênero e a responsabilização na implementação dos ODS. Quanto à Cultura, a UNESCO acredita que a inserção desse tema no centro das políticas de desenvolvimento é Investimento essencial no futuro do mundo e uma pré-condição para processos de globalização bem-sucedidos que levem em consideração o princípio da diversidade cultural. Por fim, no âmbito da Comunicação e Informação, a UNESCO segue defendendo o reconhecimento do papel vital que a liberdade de expressão e acesso à informação desempenham em sociedades sustentáveis.

No dia 14 de agosto de 2008 acontecia a inauguração oficial da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade. As instituições fundadoras desta Universidade compõem-se de diversos grupos dedicados há séculos à educação: salesianos, salesianas, lassalistas, maristas e estigmatinos. Todas essas congregações religiosas, trazem no seu DNA uma identidade muito especial, voltada à educação e particularmente à educação da juventude. E essa Cátedra não poderia estar em lugar mais adequado, a partir do momento em que é voltada à educação e à juventude dentro da sociedade. Ela foi criada sob uma sólida experiência de rede de observatórios de violências nas escolas, e de consequentes congressos Ibero-americanos de violências nas escolas. De 2008 para cá, seguiram-se 10 anos que demonstram um crescente desenvolvimento de pesquisas, as quais, ficaram registradas nos 35 volumes publicados com o selo desta Cátedra. Eles compõem uma coleção especial da nossa Cátedra. Outros são publicados, às vezes, com o selo da Cátedra, mas em outras instituições, e por outros editores. Não podemos deixar de contabilizar também as centenas de artigos científicos orientados segundo os objetivos e a temática desta Cátedra. O presente momento caracteriza-se por um especial agradecimento pelo apoio da Universidade, como também, pelo constante estímulo dado à Cátedra durante esses anos pela UNESCO-Brasil que tanto estimulou para que esse encontro de Cátedras se realizasse.

Relata-se, aqui, a experiência de sintonia de cinco das 21 cátedras UNESCO presentes no Brasil com os desafios de postos pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. De modo especial celebra-se os dez anos da institucionalização da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade, no âmbito da Universidade Católica de Brasília, como um espaço de promoção e fortalecimento das discussões teórico-metodológicas em torno do tema das juventudes. Verifica-se que, a partir de uma opção institucional do trabalho sobre/para/com as juventudes, a Universidade propõe à UNESCO a formação do Observatório de Violências nas Escolas-Brasil, o qual, embora tenha uma centralidade nas questões escolares, acaba por se aproximar da vocação institucional da UNESCO de trabalho com as juventudes e se caracteriza como o embrião para a organização da Cátedra. Evidencia-se, a partir da experiência relatada, a necessidade de que a universidade seja capaz de romper os paradigmas tradicionais que a individualizam, abrindo-se para o trabalho em rede, de forma a protagonizar uma contínua capilaridade interinstitucional que respeita as identidades e faz a catálise das possibilidades.

Publicação: Juventude Universitária e Direitos Humanos

De autoria de Robson LUSTOZA e Geraldo CALIMAN, o livro trabalha a concepção que estudantes universitários têm sobre os Direitos Humanos. A Educação em Direitos Humanos torna-se um instrumento que possibilita o conhecimento de tais direitos de modo que sejam reconhecidos não somente como direitos, mas também como dever de promoção de todos em vista da construção de uma cultura de paz e da harmonia social. Nesse contexto, emergem como essenciais as políticas públicas nacionais, que, respondendo aos acordos internacionais tendem a promover a Educação para os Direitos Humanos entre os diversos segmentos da sociedade. Entre tais segmentos, destaca-se nesta pesquisa, aquele da Universidade como um local privilegiado de formação e informação para os estudantes e futuros profissionais. Tanto melhor quanto mais claras forem as orientações ditadas pelas políticas públicas para a Educação em Direitos Humanos no Ensino superior. E o meio universitário tende a sintonizar-se com o período juvenil, em que os jovens vislumbram a possibilidade de participação ativa e cidadã na vida social em busca de mudanças inspiradas pelos desafios emergentes do contexto social. O presente livro apresenta em uma primeira parte, um recorte teórico-analítico das normativas sobre os Direitos Humanos e sua promoção no meio universitário; na segunda parte indaga, através de entrevistas coletivas (focus groups), qual a percepção dos jovens universitários sobre a presença ou não dos conteúdos relativos aos Direitos Humanos nos currículos e Projetos Pedagógicos de seus cursos. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa de caráter exploratório utilizando como estratégia de pesquisa o estudo de caso múltiplo, como técnica de levantamento e análise dedados: grupo focal, análise documental e para tratamento e análise dos dados, a análise de conteúdo.

Ao analisar a percepção dos estudantes do curso de Letras-Português e de Pedagogia acerca da Educação para os Direitos Humanos no meio universitário a partir das opiniões advindas das entrevistas dos grupos focais e analisadas, foi possível inferir que os estudantes percebem que a Universidade tem proporcionado noções relacionadas tanto aos Direitos Humanos quanto à Educação em Direitos Humanos. São considerados nessa percepção a oferta de disciplinas que tratam da temática de forma transversal, assim como em ações que compõem o currículo dos cursos; mesmo que as ações realizadas na instituição não sejam intencionalmente e explicitamente voltadas para Educação para os Direitos Humanos. Entende-se que as noções de Direitos Humanos constatadas entre os estudantes não emanam somente dos ensinamentos da Universidade, mas também dos conhecimentos transmitidos pelas instituições sociais como a família, o Estado, a sociedade assim como pelos veículos de comunicação. Entretanto, analisando a opinião dos estudantes, observa-se que não há clareza acerca do tema em questão. Intuitivamente conceituam os Direitos Humanos e evocam legislações diversas para justificarem suas falas. Pondera-se que os cursos em análise, pelo fato de serem licenciaturas, aumentem a responsabilidade da instituição em ofertar uma Educação em Direitos Humanos coerente e efetiva em sintonia com os dispositivos legais e normativas nacionais, pois nestes cursos formam-se educadores com potencial multiplicador da Educação em Direitos Humanos.

Seminário comemorativo: 10 anos da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade

Clique aqui para assistir ao vídeo institucional (3 min.). No dia 14 de agosto de 2018, a Cátedra Unesco de Juventude Educação e Sociedade da Universidade Católica de Brasília fez 10 anos de existência e, para comemorar, a mesma realizou um Seminário Internacional, com o tema: “As Cátedras UNESCO e os Desafios do Milênio para o Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS”. O Seminário realizado nos dias 14 e 15 de agosto, na Universidade de Brasília, contou com a presença das Cátedras UNESCO de seis universidades:   Pontifícia Universidade Católica de Goiás/PUC-GO, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro/PUC-RJ, Universidade de São Paulo/USP, Universidade de Brasília/UNB e do Centro Universitário IESB/DF. O evento foi coordenado pela Cátedra UNESCO da UCB e contou com a parceria do Programa de Pós-Graduação em Educação e da Escola de Educação, Tecnologia e Comunicação da UCB. Na abertura do seminário estiveram presentes diretores/as de Escolas, professores/as, o Magnífico Reitor da UCB, Prof. Dr. Ir. Jardelino Menegat; o pró-reitor Administrativo, prof. MSc. Júlio César Lindemann, Adauto Soares representando a embaixadora da UNESCO em Brasília, estudantes e o prof. Dr. Marco Antônio Dias (que atualmente reside em Paris), responsável pela implementação do Projeto de Cátedras da UNESCO e que fez a conferência de abertura do seminário, onde fez memória das origens do projeto, bem como de seus objetivos e os desafios atuais. O Seminário também foi marcado pelas apresentações das cátedras UNESCO presentes, que dissertaram sobre o que tem feito a partir do seu foco, em vista de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS. Na ocasião foram homenageados o prof. Dr. Marco Antônio Dias e o prof. Dr. Cândido Alberto da Costa Gomes, primeiro coordenador da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCB. Comissão organizadora do Seminário: Prof. Dr. Geraldo Caliman – coordenador da Cátedra/UCB; Prof. Dr. Célio da Cunha; Profa. MSc. Vanildes Gonçalves dos Santos; Prof. MSc. José Ivaldo Araújo de Lucena

SEMINÁRIO INTERNACIONAL “AS CÁTEDRAS UNESCO E OS DESAFIOS DO MILÊNIO PARA O ALCANCE DOS ODS”

Seminário Internacional – “As Cátedras UNESCO e os desafios do milênio para o alcance dos ODS” (ODS = Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) – 14 e 15 de agosto de 2018. O recente documento da UNESCO intitulado “Brilliant minds for sustainable solutions” (2017) aponta para a Agenda 2030 voltada ao Desenvolvimento Sustentável, a qual procura envolver a todos, em ações em benefício das pessoas, do planeta e da prosperidade. A agenda tem como objetivo fortalecer a paz universal e espera-se que seja implementada por todos em parceria colaborativa. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são o coração da Agenda 2030, e representam uma estrutura que abrange 16 áreas temáticas através de suas parcerias globais e meios de implementação. Cada Cátedra UNESCO foi convidada recentemente a identificar em seus objetivos quais deles se sintonizam com os ODS. Ao confrontar os objetivos de cada Cátedra com os ODS abrem-se perspectivas para novas ideias capazes de contribuir com os desafios que são colocados à educação neste milênio. Ao completar o seu decimo ano de inauguração, a Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da Universidade Católica de Brasília coloca-se nesta perspectiva, e convida outras cátedras para refletirem sobre o tema “As Cátedras UNESCO e os desafios do milênio para o alcance das ODS”. A perspectiva poderá partir dos desafios colocados pelos ODS aos objetivos de cada Cátedra.

 

PROGRAMAÇÃO

 

Dia 14 de agosto – Sessão Solene de Aniversário de Inauguração da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCBAuditório Bloco K – Campus I – Aguas Claras

19h30 às 19h40 – Abertura com apresentação cultural de estudantes do Centro Interescolar de Línguas de Taguatinga – CILT, escola associada da UNESCO e conveniada com a Cátedra UNESCO-UCB.

19h40 às 20h – Solenidade de Aniversário de 10 anos da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCB:

  • Prof. Dr. Ir. Jardelino Menegat – Magnifico Reitor da Universidade Católica de Brasília
  • Prof. Dr. Daniel Rey de Carvalho – Pró-Reitor Acadêmico da Universidade Católica de Brasília.
  • Prof. Dr. Marco Antonio Rodrigues Dias (Paris) Fundador das Cátedras UNESCO nos anos 90.
  • Dra. Marlova Noleto – Embaixadora da UNESCO em Brasília.
  • Profa. Dra. Anelise Pereira Sihler – Diretora da Escola de Educação, Tecnologia e Comunicação da UCB
  • Prof. Dr. Geraldo Caliman – Coordenador da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade (UCB).

20h às 21h30 – Conferência: “As Cátedras UNESCO e os desafios do milênio para o alcance dos ODS”, com o Prof.  Dr. Marco Antonio Rodrigues Dias (Paris), Fundador das Cátedras UNESCO nos anos 90.

Dia 15 de Agosto (Auditório Bloco K – Campus I Aguas Claras)Manhã

9h – 12h – Mesa redonda: “As Cátedras UNESCO e os Desafios do Milênio para o alcance dos ODS”.
Moderador: Dr. Fábio Soares Eon (Coordenador dos Setores de Ciências Naturais e Ciências Humanas e Sociais UNESCO Brasília)

  •     Cátedra de Juventude, Educação e Sociedade – Prof. Dr. Geraldo Caliman – UCB  Clique aqui para acessar o C.V
  •  Cátedra UNESCO de Bioética – Prof. Dr. Volnei Garrafa – UnB  Clique aqui para acessar o C.V
  • Cátedra UNESCO de Tecnologia e Educação a Distância – Profa. Dra. Raquel de Almeida Moraes – UnB  Clique aqui para acessar o C.V
  • Cátedra UNESCO de Desafios Sociais Emergentes – Profa Dra. Eda Machado de Souza – IESB – Clique aqui para acessar o C.V

Tarde

13h30 – 16h30 – Mesa redonda: “As Cátedras UNESCO e os Desafios do Milênio para o alcance dos ODS”.

Moderadora: Dra. Maria Rebeca Otero Gomes (Oficial da UNESCO e Coordenadora do Setor de Educação – UNESCO Brasília).  Clique aqui para acessar o C.V

  • Cátedra UNESCO de Leitura – Profª Drª Eliana Yunes PUC-Rio  Clique aqui para acessar o C.V
  • Cátedra UNESCO de Direito à Educação – Profa. Dra. Nina Beatriz Stocco Ranieri – Clique aqui para acessar o C.V
    USP
  • Cátedra UNESCO Archai: Origens Plurais do Pensamento Ocidental (UnB) – Prof. Dr. Gabriele Cornelli – Clique aquipara acessar o C.V
  • Cátedra UNESCO de Ciência da Educação para a Formação de Docentes e Investigação Educativa – PUC-GO – Prof. Dr. Romilson Martins Siqueira – Clique aqui para acessar o C.V

Juventude Universitária Percepção de Justiça e Direitos Humanos

CadastroSUSPublicado pela Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade: CALIMAN, G.; VASCONCELOS, J.I. (Orgs). Juventude Universitária: Percepção sobre Justiça e Direitos Humanos. Brasília: Cátedra Unesco-UCB; Liber, 2016 (ISBN: 978-85-7963-148-1). Conforme a Constituição da UNESCO (2002), “Uma vez que as guerras se iniciam nas mentes dos homens, é nas mentes dos homens que devem ser construídas as defesas da paz”. Por meio das percepções destes jovens universitários, podemos colher indícios do que a nossa geração lhes legou, de qual é o presente e do que se pode esperar do futuro. Uma pesquisa sobre Direitos Humanos no meio Universitário com a participação de sete pesquisadores de Universidades Internacionais (Itália, Espanha, Portugal, México) e sete pesquisadores de Universidades Brasileiras. Assim se exprime José Machado Pais, expert internacional sobre Juventude, licenciado em Economia e doutorado em Sociologia, Investigador Coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e Professor Catedrático Convidado do ISCTE/Instituto Universitário de Lisboa (Portugal) a respeito desta publicação:  “O questionamento das percepções dos jovens universitários sobre justiça e direitos humanos é um convite para que reflitamos no futuro das nossas sociedades. E porque assim é, em mãos temos um livro que nos desafia a imaginar o futuro como reconstrução de um presente cujo teto cultural (de valores, direitos humanos, ética e justiça) se entrecruza com um solo vital (de desigualdades sociais e constrangimentos económicos). Num estudo onde a esperança de um futuro melhor é debatida, não só no  Brasil como noutras latitudes geográficas da América Latina e da Europa, o que descobrimos é que as percepções e aspirações  juvenis se jogam num campo de tensões sociais entre discriminação e emancipação, individualismo e solidariedade, sobrevivência e direito a uma vida digna. Poderão estes dilemas ser pensados fora dos processos educacionais?” Você pode baixar o livro em PDF

Seminário Internacional Tendências e Dilemas Mundiais das Políticas de Educação

2014-08-15-ARENAS2Prof. Carlos Alberto Torres faz conferencia de abertura e lança livro durante o Seminário Internacional Tendências e Dilemas Mundiais das Políticas de Educação: do local ao global. O evento foi uma iniciativa da Escola de Educação e Humanidades da Universidade Católica de Brasília (UCB). Visa a integração do debate e das ações de ensino, pesquisa e extensão voltadas para o para o enfrentamento dos desafios da educação básica e do ensino superior na contemporaneidade. A partir de uma discussão crítica e interdisciplinar das políticas de educação, pretende discutir alternativas para os dilemas enfrentados pelos educadores nos contextos locais e globais. O Seminário faz parte das atividades de comemoração dos 20 anos do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Educação da UCB e dos 40 anos do Curso de Pedagogia. Na foto, o Prof. Carlos Alberto Torres, da Universidade da Califórnia e Coordenador de uma Cátedra UNESCO; Prof. Geraldo Caliman, Coordenador da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade; Prof. Célio Cunha, Leitor da Cátedra; Dra. Maria Rebecca Otero Gomes, Diretora dos Programas de Educação da UNESCO Brasil.